Ouça agora na Rádio

N Notícia

Brasil terá 11 representantes no Rally Dakar, que começa nesta segunda-feira no Peru

FOTO: Erwin Scheriau/AFP

Brasil terá 11 representantes no Rally Dakar, que começa nesta segunda-feira no Peru

Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin foram campeões em 2018 na categoria UTVs

Informações compartilhadas Superesportes

O principal rali do mundo, o Rally Dakar, começa na próxima segunda-feira, no Peru, com a presença 11 de competidores brasileiros, sendo dois representantes entre as motos e nove na UTV, divisão criada em 2017. Ao contrário dos anos anteriores, a 41ª edição terá todas as etapas no mesmo país, com a passagem por locais que foram casa de civilizações antigas, como os incas.

Os principais destaques são Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin. A dupla foi campeã no ano passado entre os UTVs. "Desafio é a palavra que me vem na cabeça quando se fala em Dakar. Mesmo já tendo sido campeão, cada Dakar é uma experiência única com situações únicas", disse Varela, competidor de ralis desde 1982. "O Dakar é a Fórmula 1 do rali e o mais difícil desafio do mundo. Nele você supera três fatores: pessoal, profissional e físico", completa Gugelmin.

O experiente Varela terá a companhia do filho Bruno, de 22 anos, que será o mais novo da delegação brasileira e terá Maykel Justo como parceiro. "É a realização de um sonho poder competir no maior e mais desafiador rali do mundo e ter meu pai comigo", disse. "Achei o roteiro interessante e vai ser um rali difícil por causa das dunas grandes. Nosso objetivo é poder concluir a competição nessa estreia", comentou.

Já nas motos serão dois os representantes na competição: Marcos Colvero e Lincoln Berrocal, com as KTM 450. Ambos são estreantes no evento, apesar de terem larga experiência. "Até alguns anos atrás imaginava ser daqueles sonhos intangíveis, mas à medida que fui ganhando experiência nos ralis e treinos no exterior junto com uma preparação física e mental bem planejada a confiança começou a aproximar este sonho da realidade", afirmou Colvero, de 46 anos.

Berrocal, que tem 60 anos, pretende fazer do Dakar uma forma de fechar a carreira em alta. "Sinto que a hora de parar está chegando e quero cumprir esse sonho de competir no Dakar para fechar essa minha história com o meu maior sonho realizado. Só penso em terminar todos os dias de competição e já me sentirei um vencedor", disse.

O Dakar de 2019 passará pelas cidades de Lima, Pisco, San Juan De Marcona, Arequipa, Moquegua e Tacna, com mais de 5 mil quilômetros no total ao longo de 11 dias de evento e desafios como a regularidade e a altitude. O início e o fim do trajeto serão em Lima, a capital peruana

FONTE: Superesportes / Estadão Conteúdo
Link Notícia